Tags

O artigo contém alguns spoilers para os que acompanham os livros ou a série.

Aproveitando a chegada – logo em abril – de mais uma temporada de Game of Thrones (HBO), por que não falar de seu criador – George RR Martin.

georgerrmartin

Já mencionei em post anterior, a experiência de leitura da saga criada por Martin.  Mesmo que por vezes sinta contrariedade com a morte ou destino de determinado personagem, não se pode negar – ele é brilhante.  A reação e relação que os personagens têm entre si e a história é… sem palavras.

Martin descreve um mundo cruel, mas cheio de nuances e dualidades. Por exemplo: A rainha Cersei que por vezes é tranquila e calma, em algumas horas é amedrontada com as adversidades e em outras é uma jogadora, não se privando de arriscar tudo em suas jogadas – tal qual quando derrubou Ned Stark ou em seu relacionamento com o seu irmão James.

E Tyrion? Como é sábio o “baixinho”.  As adversidades no nanismo o levaram a devorar livros e livros – a se alimentar de informação.  Claro que permeado por muita baixaria em sua vida, mas que teve fim quando se uniu a Shae – uma prostituta que muda sua vida e em dois momentos distintos (ela o ama apaixonadamente e depois, se sentindo traída e rejeitada o atraiçoa com seu pai).  E por que não levantar as diversas histórias que circulam sobre a paternidade de Tyrion (seria por isto que Tywin Lannister teria tanto ódio do filho?) que explicariam tantas agruras e distância na infância.  Parece a nossa realidade diária?

Tyrion

E que tal a pequena Arya Stark deixando de ser criança e se tornando uma fria assassina (com todos os motivos, mas…).  Sansa Stark que deixará o papel de mocinha e passará a exercer o de sedutora (quem sabe?).  Daenerys Targaryen, nossa Dany, vivendo um conflito materno com seus dragões (tal qual mãe de bandido – desculpe pela analogia).

Consumir os livros de George Martin nos leva a viver um turbilhão de emoções – muitas, similares ao nosso mundo real e outras, fantásticas – na essência da palavra.

Parabéns ao americano George Raymond Richard Martin, que teve coragem para mudar a trama original – que sua cabeça traçava (temos lido diversos posts sobre o assunto, sendo muitos, exagerados e todos, sem confirmação oficial) – e assumir ideias e riscos.  Ele consegue nos encantar e amedrontar com suas linhas.  E estas linhas estão se eternizando em uma saga televisiva, o que tem um efeito catalizador de multiplicação de admiradores.

Congrats dear George!

Base da informação do post:

http://www.brasilpost.com.br/2015/02/05/carta-george-rr-martin_n_6626222.html

http://www.gameofthronesbr.com/2014/08/a-psicologia-de-cersei-lannister.html

http://wiki.gameofthronesbr.com/wiki/Daenerys_Targaryen

http://wiki.gameofthronesbr.com/wiki/Daenerys_Targaryen#A_Guerra_dos_Tronos

http://www.gameofthronesbr.com/2014/11/a-paternidade-de-tyrion-uma-nova-analise-depois-de-o-mundo-de-gelo-e-fogo.html

http://www.wallpaperup.com/191616/actors_Game_of_Thrones_TV_series_Tyrion_Lannister_Peter_Dinklage_faces_HBO.html

http://www.wallpaperup.com/7407/Castles_quotes_houses_house_kingdom_fantasy_art_game_of_thrones_emblem_a_song_of_ice_and_fire_george_r_r_martin_mormont_greyjoy_lannister_stark_targaryen_baratheon_tully.html

http://oglobo.globo.com/cultura/revista-da-tv/autor-de-game-of-thrones-justifica-atitudes-de-tyrion-lannister-no-episodio-final-12885865

Abraços a todos, e até o próximo post.

Anúncios